Vitamina D3 é mais eficaz no sistema imunológico que a D2?

A vitamina D geralmente é encontrada em duas formas principais: ergocalciferol (vitamina D2) e colecalciferol (vitamina D3). Pesquisas já comprovadas mostram que os suplementos de vitamina D3 são muito mais eficazes em aumentar os níveis sanguíneos de vitamina D do organismo. No entanto, não estava claro as diferenças funcionais para a saúde humana entre os dois tipos de vitamina D suplemento.

Para ajudar a preencher essa lacuna, pesquisadores das Universidades de Surrey e Brighton, no Reino Unido, relatam que apenas a vitamina D3 induziu um efeito no corpo que pode reforçar o sistema imunológico contra infecções virais, com a vitamina D2 tendo um impacto questionável na saúde humana, embora as duas compartilhem um alto grau de similaridade nas suas estruturas químicas.

“Mostramos que a vitamina D3 parece estimular o sistema de sinalização do interferon tipo I no corpo – uma parte fundamental do sistema imunológico que fornece uma primeira linha de defesa contra bactérias e vírus”, explicou Colin Smith, PhD, professor de genômica funcional em Brighton e um dos principais autores do estudo, em um comunicado à imprensa. “Assim, um status saudável de vitamina D3 pode ajudar a impedir que vírus e bactérias se instalem no organismo”.

As novas descobertas, publicadas na revista Frontiers in Immunology, observam também que a suplementação de vitamina D provavelmente só terá efeitos benéficos na infecção viral se os níveis forem reforçados antes de qualquer exposição ao agente patogênico, pois é improvável que haja benefício clínico na suplementação de vitamina D após a infecção instalada. Estudos recentes que analisam os efeitos neutros do tratamento com vitamina D para pacientes hospitalizados com Covid-19 confirmam estes achados.

Suplementos de vitamina D

A vitamina D é mais conhecida por seu papel na manutenção da saúde óssea e na homeostase do cálcio, no entanto, também possui uma ampla gama de efeitos na fisiologia celular e no sistema imunológico.

Diferente de outras vitaminas, a vitamina D é sintetizada naturalmente pelas células de colesterol no corpo quando a pele é exposta à luz solar. O nutriente também está disponível em um pequeno grupo de alimentos.

No entanto, pode ser difícil para muitas pessoas a exposição diária ao sol, por diversas variáveis, e também obter a quantidade necessária desta vitamina apenas com alimentos.

Então, o próprio estudo citado acima sugere que é importante que as pessoas tomem um suplemento de vitamina D ou busquem alimentos adequadamente fortificados, especialmente nos meses de inverno, como uma alternativa benéfica.

A professora Susan Lanham-New, chefe do Departamento de Ciências Nutricionais da Universidade de Surrey e coautora da pesquisa, concluiu: “Enquanto descobrimos que a vitamina D2 e ​​a vitamina D3 não têm o mesmo efeito na atividade genética em seres humanos, a falta de impacto que encontramos ao analisar a vitamina D2 significa que um estudo maior é urgentemente necessário para esclarecer as diferenças nos efeitos das duas formas. Até agora os resultados mostram que a vitamina D3 deve ser a forma preferida para alimentos e suplementos fortificados.”

Como aumentar a ingestão de vitamina D3

Os suplementos alimentares de boa qualidade são a forma mais confiável de ingestão deste nutriente, pois uma boa marca de vitamina já usa D3 em suas fórmulas.

A forma natural do organismo produzir quantidades necessárias de vitamina D é a exposição ao sol – por cerca de 10 a 30 minutos, algumas vezes por semana.

Certos alimentos também podem ser uma boa fonte de vitamina D. A vitamina D é encontrada em pequena quantidade em alimentos como peixes gordurosos (salmão, sardinha e atum), manteiga, carne vermelha, fígado e gema de ovo.

O leite fortificado com vitamina D é uma alternativa bastante acessível, inclusive porque muitas marcas já deixaram de usar D2, dando preferência para D3, ou uma mistura das duas.

Outros alimentos nos quais a vitamina D3 é adicionada incluem cereais matinais, queijos, iogurtes, entre outros. Mas para saber exatamente as proporções desta adição seria necessário revisar os rótulos.