Câncer de pele: conheça dicas e cuidados necessários

Ainda hoje as pessoas permanecem céticas em relação aos benefícios de proteção do filtro solar, desconfiadas de ingredientes químicos potencialmente prejudiciais em alguns produtos de proteção solar ou continuam a comparar o sol apenas com benefícios para a saúde versus seus efeitos prejudiciais como resultado da exposição excessiva ao raios ultravioleta (UV) do sol. 

A exposição ao sol é um grande fator de risco para o câncer de pele, não há dúvida. Mas os pacientes também ouviram que há benefícios da exposição ao sol, benefícios para a saúde de obter vitamina D, por isso é uma mensagem complicada. As pessoas deveriam gostar de estar ao ar livre e passar o tempo na praia e ao sol, mas você tem que estar protegido.

Sobre o Câncer de pele

O câncer de pele é a forma mais comum de câncer. Embora uma pequena porcentagem dos cânceres de pele seja melanoma , essa forma de câncer de pele é uma doença potencialmente fatal. Hoje, o melanoma é o quinto câncer mais comum entre homens e mulheres e, recentemente, aumentou a incidência de melanoma em indivíduos de 15 a 39 anos.

Melanoma

O melanoma é um câncer evitável, mas nas últimas duas décadas, vimos um aumento dramático na incidência de melanoma. Sabemos que a exposição ao sol é um importante fator de risco para melanoma e câncer de pele.

Existem duas maneiras fáceis de se proteger – o uso diário de protetor solar e evitando a exposição excessiva ao sol – ainda assim, estamos vendo muitos casos de câncer por ano devido ao melanoma. 

A maioria das pessoas sabe que há um equilíbrio a ser alcançado quando se trata de passar um tempo ao sol. São os raios ultravioleta que são a principal causa do câncer de pele, mas também precisamos de um pouco de sol para gerar vitamina D.

Sol como fonte de Vitamina D

Embora o número de crianças que sofrem de raquitismo devido aos baixos níveis de vitamina D ainda seja relativamente pequeno, nos últimos anos ele aumentou ligeiramente , sugerindo que algumas pessoas podem não estar passando tempo suficiente fora de casa. 

A quantidade de sol necessária para gerar vitamina D suficiente varia de acordo com sua pele. Mas não está claro quanto tempo as pessoas podem precisar passar ao sol para gerar vitamina D suficiente e, ao mesmo tempo, minimizar o risco de câncer de pele.

Existe um nível seguro de exposição ao sol?

Em um estudo aprofundado financiado pela Cancer Research UK , a  equipe analisou o impacto de expor 39 pessoas de diferentes tipos de pele a baixos níveis de UV. Isso seria o suficiente para gerar vitamina D? E isso vai causar danos ao DNA em suas células que podem levar ao câncer de pele?

Ao contrário de estudos anteriores, Rhodes deu aos participantes doses de UV relacionadas ao risco de queimaduras.

À medida que a dose de UV aumentou em direção ao nível de queima individual, houve um aumento nos níveis de vitamina D e danos ao DNA observados em amostras de pele. Para todos os tipos de pele, esses fatores parecem estar completamente interligados.

Conclusão 

Ainda existem muitos estudos acerca dos benefícios e malefícios do sol e a quantidade correta que se deve levar para continuar tomando vitamina D de forma natural e não colocar sua saúde em risco. Se você tem dúvidas de como se cuidar, procure um dermatologista especialista em câncer de pele, eles poderão passar os cuidados corretos que sua pele deve receber e como tomar aquele solzinho da manhã ou fazer aquela caminhada da tarde, sem colocar sua saúde em risco.