catarro – o que é, quais suas causas e tratamentos !

O catarro nada mais é do que a forma que o corpo encontra para se proteger contra invasores indesejados. Ele está presente no muco nasal durante toda a vida do indivíduo, protegendo-o contra vírus, bactérias e agentes externos comuns como a poluição, por exemplo. Mas nós só percebemos sua existência quando ele se torna mais espesso e é enviado à garganta para ser eliminado pelo corpo junto com aquilo que foi retido nele. E esse aumento da espessura geralmente é sintoma de alguma doença, que pode ser grave ou não, dependendo de alguns fatores. No artigo de hoje, iremos explicar como o catarro é formado e quando é o momento de se preocupar e procurar auxílio médico. Confira logo abaixo as informações que separamos!

A composição e formação do Catarro

OCatarro é formado por água em quase sua totalidade, cerca de 90% e os outros 10% são referentes aos sais, proteínas e vestígios de células. Ele é basicamente uma secreção iniciada nos brônquios e enviada ao muco nasal como finalidade de proteção contra poeiras, poluição e outros agentes externos problemáticos. Mas quando há uma invasão além do que o corpo consegue suportar, ou seja, uma infecção ou um ataque de vírus, essa secreção dobra de tamanho, formando o catarro como o conhecemos.
Esse aumento de espessura se dá pelo excesso de células de proteção – os chamados anticorpos. Se um agente externo apresenta um risco ao organismo, essas células se multiplicam e formam uma barreira extra que dá origem ao catarro espesso e de cores variadas. Podemos citar essa variação de cor em alguns tipos:

  • O catarro esverdeado geralmente indica a presença de alguma doença infecciosa, como pneumonia, por exemplo. Também é possível que essa cor esteja presente em casos de amigdalite, que é quando bactérias atingem as amígdalas a ponto de formar pus nessa região. Em casos de catarros nessa tonalidade, é essencial procurar um médico para iniciar um tratamento contra a infecção já instalada.
  •  Já no caso do muco mais amarelado, a infecção pode estar instalada no sistema respiratório do indivíduo, como no caso de doenças alérgicas como laringites, sinusites e rinites. Independente da repetição deste quadro, também é importante sempre procurar auxílio médico assim que houver mudanças na coloração do catarro, pois este tipo de invasão bacteriana no organismo pode se tornar mais grave quando não tratada.
  •  O muco mais esbranquiçado pode indicar doenças como asma e, em casos mais raros, câncer de pulmão.
  •  Por fim, é preciso lembrar do catarro com coloração mais amarronzada, que costuma ter um cheiro mais forte e geralmente está associado à um tipo raro de pneumonia, causada pelo fungo Aspergillus. Nesse caso, a cor se torna mais escura especialmente por haver uma mistura de sangue produzido no pulmão. É importante ficar atento e procurar um médico se este tipo de muco aparecer.

É preciso salientar mais uma vez que o catarro sem coloração e sem cheiro é absolutamente normal e serve como proteção ao organismo. Este tipo de muco benéfico é menos espesso e quase imperceptível.

Causas do aparecimento do Catarro além das doenças

Embora seja preciso uma consulta médica para identificar com precisão as causas do muco presente em excesso, algumas delas são gerais, além das doenças que foram citadas acima. São elas:

  • Tabagismo: As vias respiratórias são muito agredidas quando há um excesso de fumaça sendo inalada e o tabagismo é uma causa recorrente de catarro de coloração mais escura, que pode ter cheiro forte.
  • Poluição: Além do tabaco, a poluição é um fator comum do aumento do muco produzido pelo corpo. Como o catarro tem a função de proteger o organismo, em ambientes onde o ar é de menor qualidade, é esperado maior concentração de células de defesa.
  • Desidratação: Por fim, outro agente influenciador do aparecimento de muco em excesso é a desidratação. Nesse caso, o catarro é mais consistente, porém, sem nenhum tipo de odor. A melhor saída é beber muita água e notar se há melhoras no quadro com o passar dos dias.

Tratamento para o Catarro

O tratamento para o excesso de muco é definido a partir da sua origem. Em casos de infecções, será necessário ministrar antibióticos pelo período de tempo que o médico recomendar, além de ser necessária o uso de anti-inflamatórios em algumas situações. Já no catarro produzido por agentes externos como poluição e cigarro, a melhor saída é tentar diminuir o contato com eles o máximo possível ou se hidratar com maior frequência para ajudar o organismo nesse processo de proteção.

Para concluir, é importante procurar auxílio médico se o muco estiver presente por duas ou três semanas consecutivas ou aparecer acompanhado de outros sintomas, como falta de ar, espirros, febre, dor de cabeça e dor no corpo. Evite sempre a automedicação.